Portão em acesso do Anhangava gera novas polêmicas e discussões

4

No último final de semana, a instalação de um portão na continuação da Rua Anhangava que dá acesso a uma das trilhas do Pico do Anhangava, voltou a gerar polêmica e discussões entre a comunidade de montanhistas e escaladores da região de Curitiba.  Moradores da região, há tempos reivindicam a implantação de uma estrada parque no local para trazer mais segurança. Por outro lado, os demais usuários acreditam que esse portão bloqueará o acesso de quem não é morador.

Portão instalado na entrada da estrada

Com o fechamento do Parque Estadual da Serra da Baitaca que abriga o Pico do Anhangava por conta da pandemia e mais a estiagem, os moradores os moradores da região em parceria com a Prefeitura Municipal de Quatro Barras instalaram uma barreira física. A estrutura servirá para auxiliar no controle de entrada e dar mais segurança aos moradores durante esse período de acesso restrito. Os moradores afirmam que estão realizando mutirões voluntariamente nos finais de semana e feriados para orientar os visitantes de que o Parque está fechado devido ao decreto Estadual 4230/2020. 

Como manter o acesso a montanhistas?

Porém, já há alguns anos os moradores negociam a restrição de acesso de veículos na estrada. De acordo com eles, a intenção é fechar o caminho apenas para veículos automotores, mantendo assim o livre acesso de pedestres e ciclistas. Eles defendem que essa ação aumentaria a segurança dos moradores e demais usuários, contribuiria para a manutenção da estrada e também incentivaria as pessoas a utilizarem o acesso principal onde é feito o cadastro dos visitantes pelo IAT (Instituto Água e Terra).

Os moradores afirmam ainda que não querem barrar o acesso de escaladores e montanhistas conscientes. Por isso, eles estão estudando junto com a prefeitura e o IAT uma forma de realizar um cadastro online para acessar o estacionamento do Baitacão que fica na Rua Anhangava.

Por enquanto, o parque esta fechado devido a pandemia. Mas o acordo provisório é manter o portão aberto durante o dia, das 6h às 19h, horário de funcionamento do Parque segundo o seu plano de manejo. Para pedestres e ciclistas, há uma passagem ao lado do portão aberta em tempo integral.

O trecho da estrada de acesso ao parque possui aproximadamente 800 metros. Os moradores alegam que esse trecho fica em áreas particulares, compradas de antigas pedreiras. E afirmam ainda que nunca houve nenhuma ação de desapropriação de terra para a instalação da estrada, o que não a torna pública.

Assim, na manhã de ontem, 27/04, representantes dos moradores se reuniram com o Prefeito de Quatro Barras, Angelo Andreatta. Também estavam presentes a Procuradoria do Município e a Secretaria de Governo, Meio Ambiente e Ordem Pública. Durante a reunião, ficou decidido que será criada uma proposta de acordo que atenda as demandas dos moradores e turistas que frequentam a montanha. A proposta será apresentada nos próximos dias, até lá o portão permanecerá no local.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

4 Comentários

  1. Avatar

    Algumas perguntas para reflexão sobre nossos parques estaduais, montanhas, setores de escalada e áreas de preservação ambiental.

    1) O cadastro de visitantes no Marumbi, no Pico Paraná, no Itatiaia, nos Tres Picos/Salinas e vários outros parque trazem benefícios a preservação ambiental e a segurança do visitantes ?
    2) O cadastro dos visitantes é importante?
    3) A orientação aos visitantes é importante?
    4) A fiscalização na entrada e na saída das áreas protegidas é importante ?
    5) Acessos livre sem nenhum controle trazem benefícios ou ameaças nas áreas protegidas?
    6) No Anhangava que vem sofrendo com inúmeros danos ambientais, o controle de acesso e cadastro ajudará a diminuir os danos e os riscos?
    6) No Anhangava que temos 02 entradas para o uso intensivo no Plano de Manejo do PESB, Borda do Campo e na Asa Delta, mas temos mais 01 acesso secundário pela rua anhangava, mais 01 acesso da estr. Graciosa e mais 01 acesso Itupava/Corvo, mas somente 01 acesso com receptivo para controle e orientação.
    Seria positivo o direcionamento da maioria do publico para o cadastro ?
    7) Uma adaptação e direcionamento dos visitantes é tão difícil assim, mesmo trazendo um ganho real ao unidade de conservação?

    Exemplos próximos:
    No parque Marumbi o cadastro é obrigatório na entrada e na saída por questões de segurança do parque e da segurança do próprio visitante!
    No parque do Pico Paraná o CPM esta tendo inúmeros problemas, inclusive com violência e BOs para implantar controle de acesso, cadastro e orientação!
    O PESB/Anhangava/Caminho do Itupava/Pão de Ló não são diferentes, estão na borda de uma metrópole de quase 3 milhões de habitantes.

    No morro do Anhangava e entrono dá para observar o aumento de muitos problemas como vandalismo em vias de escalada, acidentes, pixações, lixos, fezes humanas, animais domésticos, poluição sonora, roubos, acampamentos irregulares, corte de vegetação nativa, fogueiras e vários focos de incêndio, os incêndios podem destruir a unidade de conservação em poucos dias !!!!
    Problemas estão aumentando e afetando constantemente todo o Parque Baitaca e o morro do Anhangava.

    No atual momento, com todas as variáveis negativas que o uso intensivo está
    trazendo, somando com os acessos sem controle, o pouquíssimo recurso da
    administração pública/IAT e a pequena consciência ambiental de vários visitantes faz se necessário uma orientação efetiva e controle real dos acessos a unidade de conservação Parque Serra da Baitaca.
    O direcionamento e a maior centralização dos visitantes para Borda do Campo único Receptivo e Posto de controle do IAT existente e em funcionamento é a melhor opção no momento, o posto orienta e controla simultaneamente o acesso principal do morro Anhangava e do Caminho do Itupava com o mesmo recurso físico e financeiro. Isso gerará economia e um ganho de qualidade, rapidamente, para a gestão da unidade, ao visitante, ao comércio local, ao controle ambiental e por fim e mais importante a preservação da natureza com uso sustentável.

    Pedimos o apoio, colaboração e compreensão de todos as entidades de Montanha.
    A natureza agradece !

    • Avatar
      Eliseu Pascoal Pavesi em

      Complexa é a logística de acesso ao Anhangava. Como demonstra o Fábio em seu texto, temos a entrada principal do Itupava, que já é deficiente no controle do Anhangava, pois, o trailer de controle fica a mais de trinta metros abaixo do inicio da trilha , isto é, o cidadão sobe um pouco mais o carro pela estrada, estaciona do lado da entrada na trilha e sobe sem se cadastrar. Ainda temos a Estrada do Samambaia e a entrada ao lado do estacionamento do Baitacão. Acredito e defendo que deveríamos ter somente uma entrada, sendo a do trailer do IAT a principal. Em diversos países onde existe visitação às Unidades de Conservação, estas entradas são pagas, justamente para poder dar suporte a estrutura que a própria Unidade de Conservação precisa. Pagar entrada para a Unidade de Conservação só traz benefícios em estrutura e melhoria de gestão para a unidade. Acredito que muitos não saibam mas, até agora a manutenção do Anhangava é feita quase que 100% por voluntariados, isto é injusto, pois sobrecarrega essas pessoas, que ainda são criticadas. Essas Unidades de Conservação estão a margem de uma metrópole de milhões de habitantes. Não podemos ser negligentes e deixar que elas sejam expostas a todo o tipo de vandalismo que sofrem.

  2. Avatar
    Thiago Wojtecki em

    Donos da montanha aproveitam o covid-19, para concretizar antigo desejo! Simples assim, quero ver essa meia dúzia dar a volta e pegar a trilha na borda para aproveitar o jardim de casa! Fechem sua trilha de acesso também! Portão que só fecha os Franciscos, os Chicos passam. Igual já ocorre no clube do Marumby, parque fechado, vila aberta!

Deixe seu comentário