Sobrevivente dos Andes cria respiradores no Uruguai

0

Nas últimas semanas, entidades e pessoas do mundo todo estão buscando desenvolver equipamentos hospitalares para atender as demandas da pandemia de coronavírus. O sobrevivente da tragédia nos Andes, Roberto Canessa, também sentiu a necessidade de ajudar e desenvolveu um respirador mecânico  para doar a hospitais do Uruguai.

Roberto Canessa trabalhando em protótipo de respirador.

Canessa estava no avião do time de Rugby uruguaio que caiu na Cordilheira dos Andes em 1972. Ele foi um dos sobreviventes que saiu do local caminhando em busca de ajuda após 72 dias esperando por resgate. Assim ele ajudou a salvar seus outros 14 companheiros. Após a tragédia ele se tornou cardiologista pediátrico.

Atualmente, Canessa esta com 67 anos de idade e sentiu que seria necessário agir por conta própria contra a pandemia. “Países grandes como Estados Unidos, ou China, teriam possibilidades de comprar, ou fabricar, respiradores, mas o Uruguai, não” disse o uruguaio a agência de notícia AFP.

Ele conta que a experiência vivida nos Andes o ajudou nesse momento. “Quando vi que no mundo as pessoas estavam morrendo de sede de ar, isso me lembrou a montanha, quando vi meus amigos que não conseguiam mais respirar e disse: não, isso não pode acontecer comigo de novo”, contou.

O respirador

Após criar o primeiro protótipo inspirado em um modelo israelense, o médico reuniu outros 80 voluntários em um grupo de Whatsapp para aprimorar o aparelho desenvolvido. Fazem parte desse grupo profissionais de diversas áreas como engenheiros pneumáticos, eletrônicos, robóticos, etc.

Assim, foram criados quatro modelos de respiradores, o primeiro deles foi batizado de Charrúa. Todavia, no momento os aparelhos estão em fase de teste e calibragem no Hospital das Clínicas da Universidade da República, em Montevidéu. Esse respirador custa em média 1.200 dólares, já o modelo feito por empresas especializadas custa cerca de 20 mil dólares.

Modelo Charrúa, primeiro a ser desenvolvido.

O Uruguai conta com 655 casos de Covid-19 confirmados e 17 mortos até o momento para uma população de 3,5 milhões de pessoas. Entretanto, Canessa teme que esse número aumente rapidamente, por isso estão intensificando os testes dos respiradores. Se for aprovado, o respirador poderá ajudar no combate ao vírus no país.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário