Urubici

0

A serra catarinense ainda é pouco conhecida e bastante preservada, com cânions deslumbrantes, campos de altitude de vistas longínquas e lindas cachoeiras. Experimente visitá-la e, se tiver tempo, fazer alguma travessia mais longa. É uma natureza delicada e diversa, que alia panoramas monumentais a detalhes pitorescos.

Urubici fica a 170 km de Florianópolis, por uma bela estrada asfaltada, que atravessa vales e sobe chapadões, até passar pela curiosa pirâmide do Panelão e descer até a cidadezinha de Urubici. Esta funciona de maneira semelhante a Monte Verde para os paulistas ou Visconde de Mauá para os cariocas: uma região serrana e rústica, próxima da capital, com belos visuais e muita natureza.

Urubici está a uma altitude acima de 900 metros, próxima aos cânions de Bom Jardim da Serra. É também vizinha de São Joaquim, conhecida como a mais fria região do Brasil (mas é possível que perca esta posição para Urupema) e que emprestou seu nome para um antigo PN. Significa na língua dos índios xokleng Terra Mãe das Águas Geladas, é um nome um tanto sonoro, mas bem verdadeiro.

Os xokleng eram uma nação nômade que percorria todo o Brasil. Foi para buscar ouro e catequizar índios que os primeiros brancos chegaram à região. Só 200 anos depois começou a exploração florestal, que se estendeu pelo meio século seguinte.

Vegetação Rural de Urubici (Fonte – Divulgação)

Urubici é uma vila feiosa e pequena, com avenidas curiosamente largas, por causa do trânsito de pesados caminhões de madeira, da época quando a cidade começou a crescer. Devido à topografia acidentada, esta foi a última região colonizada em Santa Catarina, quando lá se instalaram inúmeras madeireiras para o corte das araucárias nativas. Foi exatamente para protegê-las (ou o que sobrou delas) que o PN foi constituído.

Mas, até hoje, Urubici é pouco habitada, com grandes extensões servidas por estradas de terra, povoados minúsculos distantes entre si e muitas de suas encostas ainda recobertas por vegetação nativa (ou pelo menos assim era quando estive lá). Na realidade, os principais atrativos estão a algo como 20 ou 30 km da vila, principalmente no rumo leste, no sentido da Serra Geral.

Uma das atrações é o platô do Cânion do Espraiado. Você deve dirigir por 30 km na direção leste, até perto da Serra do Corvo Branco, saindo à esquerda no rumo do Refúgio do Rio Canoas. Junto com o Rio Pelotas, o Canoas é formador do Rio Uruguai. Ele corre ao longo de todo o vale que você atravessou para chegar ao Refúgio.

Cânion do Espraiado, Urubici, SC

Vale do Rio Canoas, Urubici, SC

Subir aos campos de altitude é uma caminhada um tanto íngreme por 10 km de ida e 500 m de ascensão, a partir do deslumbrante vale do rio. A vista de cima é impressionante, com a cachoeira do Rio Espraiado mergulhando no cânion quase ½ km abaixo, toda a luxuriante vegetação das encostas e o rochedo acidentado do Corvo Branco mais adiante.

A Serra do Corvo Branco a 1.750m, também na borda da Serra Geral, é outro dos atrativos. Dizem que corvos brancos não existem, este nome deve ter sido criado por alguém com muita imaginação (ou pouca visão), que talvez o tenha confundido com algum urubu rei. Dela desce uma estradinha semelhante à do Rio do Rastro, embora menor. Os altos da Serra são alcançados por uma caminhada de talvez 5 km de ida.

O local mais conhecido na região é o Alto da Igreja, de todos o mais elevado, com 1.820m, ao qual você chega de carro. Lá existe uma base para controle do tráfego aéreo. Devido a estas instalações, o acesso à bela Pedra Furada deve contornar a colina, numa trilha irregular de 6 km dentro do mato arbustivo, que corre pelas encostas de um cânion. A Pedra Furada é uma notável formação em arenito com um curioso vazio central de quase 10 metros de altura.

 

Morro do Campestre em Urubici, SC

Se você sentir saudades de uma escalaminhada minúscula, não deixe de visitar o Morro do Campestre. Ele está a 7 km no rumo oeste, com 1.200m de altitude. Nele a erosão esculpiu no arenito formas muito evocativas: lajes, buracos e pontões. Estão debruçados sobre um vale verdejante, coberto por um mosaico de diferentes plantações ao longo do curso preguiçoso do Rio Canoas.

Cachoeira do Avencal, Urubici, SC

Existem também belas cachoeiras, a mais conhecida delas sendo a do Avencal, à beira da rodovia para São Joaquim. Ela pode ser visitada por baixo e também pelo alto, em ambos os casos com visões impressionantes. Note como é imponente a grande e curva parede basáltica. Informe-se e visite também outras quatro quedas, ficam de 7 a 23 km do centro.

Apesar de um surto imobiliário recente, o turismo ecológico em Urubici ainda está se iniciando, não existem tantas alternativas de hospedagem e de travessias. Mas há algo de delicado e pitoresco que faz desta uma região encantadora. Como percebi na segunda vez em que a visitei, está ficando mais urbanizada. Então, conheça logo antes que tenha menos a conhecer.

Compartilhar

Sobre o autor

Alberto Ortenblad - Colunista

Nasci no Rio, vivo em São Paulo, mas meu lugar é em Minas. Fui casado algumas vezes e quase nunca fiquei solteiro. Meus três filhos vieram do primeiro casamento. Estudei engenharia e depois administração, e percebi que nenhuma delas seria o meu destino. Mas esta segunda carreira trouxe boa recompensa, então não a abandonei. Até que um dia, resultado do acaso e da curiosidade, encontrei na natureza a minha vocação. E, nela, de início principalmente as montanhas. Hoje, elas são acompanhadas por um grande interesse pelos ambientes naturais. Então, acho que me transformei naquela figura antiga e genérica do naturalista.

Deixe seu comentário