Sobre o Autor

Jorge Soto - Colunista

Jorge Soto é mochileiro, trilheiro e montanhista desde 1993. Natural de Santiago, Chile, reside atualmente em São Paulo. Designer e ilustrador por profissão, ele adora trilhar por lugares inusitados bem próximos da urbe e disponibilizar as informações á comunidade outdoor.

Aventuras
RASGANDO A SERRA FINA AO MEIO!!! – P1
Por

O isolamento, a altitude acentuada, a escassez de água e espaço tornam a Serra Fina uma das travessias + difíceis e emocionantes do Brasil, cujo pto alto é a subida da Pda da Mina, pico culminante da Mantiqueira. Se assim já é difícil, imagine realiza-la no sentido Norte-Sul, transversalmente? Pois foi isso mesmo q fizemos em 5 árduos dias: saímos de Queluz, escalaminhamos o Rio Claro até sua nascente por encostas repletas de mato e pedras escorregadias feito sabão, ate atingir o cume da 4º maior montanha do país, p/ depois descê-la pela crista oposta rumo Bairro do Paiolinho. Radical, selvagem e intensa ao extremo, enfrenta-se paredões verticais íngremes, abre-se c/ facão mata fechada e embrenha-se por mares de capim-de-anta afiados, alem de enfrentar frio e vento cortante c/ temperaturas negativas. Preço justo q se paga p/ fazer parte dos poucos q já conquistaram os 2.798m da Pda da Mina desta forma nada convencional. Td isso emoldurado por montanhas acima dos 2mil metros. Alem de proporcionar novas vistas espetaculares da região + alta do estado, de incontáveis cachus e piscinões de água límpida, esta pernada se caracteriza tb por ser + longa, + difícil,+ bonita. E muito, muito + perigosa.
Fotos José Augusto C.

Aventuras
TRAVESSIA NA SERRA DO CIPÓ – Parte 2
Por

Encravado no extremo sul da Serra do Espinhaço, o vilarejo da Lapinha é sempre lembrado por sua travessia + notória, rumo Tabuleiro. No entanto, perpendicularmente à este programa – saturado à exaustão pelo ecoturismo -farofa – há outra caminhada selvagem tão grandiosa q percorre rios e cachoeiras deslumbrantes, campos rupestres e matas de cerrado em direção ao pacato arraial de Fechados, 50km ao norte.

Texto: Jorge Soto
Fotos: Alessandro de Jesus/Luciana Barreiro

Aventuras
TRAVESSIA NA SERRA DO CIPÓ – Parte 1
Por

Encravado no extremo sul da Serra do Espinhaço, o vilarejo da Lapinha é sempre lembrado por sua travessia + notória, rumo Tabuleiro. No entanto, perpendicularmente à este programa – saturado à exaustão pelo ecoturismo -farofa – há outra caminhada selvagem tão grandiosa q percorre rios e cachoeiras deslumbrantes, campos rupestres e matas de cerrado em direção ao pacato arraial de Fechados, 50km ao norte.
Texto: Jorge Soto
Fotos: Alessandro de Jesus/Luciana Barreiro

Aventuras
PERRENGUE NO TREM DA MORTE
Por

Viajar é admirar e participar intensamente de tudo em volta, o que por si já é gratificante. Mas há outro momento divertido em qualquer viajem é o seu ´depois´, quando a trip é relembrada deliciosamente numa roda de amigos ou num boteco qualquer. E melhor ainda quando ela é recheada de perrengues e causos pitorescos para jogar conversa fora.

Aventuras
TRAVESSIA PELO TETO DO CARAÇA
Por

Jorge Soto retornando a ativa em grande estilo, depois do acidente no Vale da Ilusão, transpõe os picos CANJERANA 1890m e INFICIONADO 2094m no Parque Natural do Caraça – MG – acompanhado pelos amigos Ângelo, Guga, Chiossi, Cleusa e Emilia nos quatro dias do feriadão de Corpus Christi.
Texto de Jorge Soto com fotos de Emilia Takahashy

Aventuras
LENÇÓIS MARANHENSES A PÉ!!! – P1
Por

São muitos os adjetivos q fazem do Pq Nac. dos Lençóis a maior atração do Maranhão. Razões + q suficientes p/ conferir de perto este local q é realmente de paisagem surreal, composta de uma mistura impar de dunas douradas, lagoas cristalinas, oásis verdejantes e habitantes simples e hospitaleiros, q tem sua rotina – e vida – regida pelo capricho dos ventos. O desafio de conhecer td aquilo na base da pernada era tentador em demasia de passar batido, ainda + pra quem curte caminhar, convive c/ um perrengue e quer experiências q vão alem do passeio-de-mão-dada oferecido por agências. Assim, encarei a parada sozinho – munido apenas de bússola e uma info prévia – apenas pra ter 2 certezas: q a Travessia dos Lençóis, saindo de Barreirinhas e finalizando em Sto Amaro, requer apenas disposição, já q é uma caminhada de 65km percorridos em 3 dias árduos mas q não oferece maiores problemas de navegação, e constatar tb q o local realmente faz jus aos adjetivos q lhe são dirigidos.
Texto e Fotos: Jorge Soto

Aventuras
Caminho Do Imperador: Da Juréia Até Iguape
Por

Tardou 2 anos para que se juntassem as condições – e vontade – para dar continuidade a uma caminhada que só não finalizei por falta de tempo, a Trilha do Imperador (ou do Telégrafo). Esta, por sua vez, já fora bem tradicional outrora por coincidir com uma romaria local, mas atualmente esta proibida por atravessar boa parte da Reserva Ecológica da Juréia, litoral sul de SP.

1 38 39 40