“Fui preso mais de 100 vezes por escalar edifícios”

0

Conhecido como o homem-aranha francês, ele mantém uma intensa atividade como escalador de edifícios, principalmente em solitário. Quem é este personagem, que foi detido mais de 100 vezes e conhece muitas cadeias pelo mundo?

Alain Robert, 53, é um tipo incompreendido por definição. Sua imagem é parecida com a de um rockstar, e ele parece mesmo com um, quando junta milhares de pessoas para acompanhar seus feitos em Dubai, Abu Dhabi, ou Moscou. Alain nunca foi um escalador tradicional. Mesmo quando escalava em rocha, muitas vezes o faz em solitário, sem nenhum equipo de proteção, e em vias de graduação elevada, a partir de 9c. 
 
Em 1994, Alain escalou o primeiro edifício dos 140 que ele já coleciona em seu currículo de conquistas. Alguns dos mais emblemáticos prédios já visitados por Alain incluem o Burj Khalifa (828 m), em Dubai (2011), o edifício Taipei 101 (508 m), em Taiwan (2004), as Torres Petronas (452 m), na Malásia (2009), a torre Sears, em Chicago (1999), a Torre Eiffel (300 m), em Paris, a Ópera de Sidnei (em 1997) e o Empire State Building (381 m), em Nova York (1994).
 
Alain foi preso no Brasil em 24 de fevereiro de 2008, ao tentar escalar o Edifício Itália, no centro de São Paulo, o segundo maior arranha-céu brasileiro. No dia 27, três dias após a tentativa mal sucedida, voltou e conseguiu escalar o Edifício Itália.
 
O site Desnivel.com fez uma entrevista com Alain para conhecer melhor o homem por trás das conquistas urbanas. Confira alguns trechos abaixo – a entrevista inteira, em espanhol, pode ser lida aqui.
 
"Comecei a escalar edifícios por encomenda de uma campanha de uma marca suíça de relógios, que chamava gente que fazia coisas loucas para fazer propaganda de seus produtos. Isso foi há mais de 20 anos. Nesta época, eu já escalava fazia tempo. No começo achei a ideia maluca, mas depois vi que havia potencial a ser explorado". 
 
"Escalar edifícios é diferente do que escalar normalmente. Não digo que é mais difícil, acho que há muitas vias muito mais difíceis do que escalar um prédio. Mas escalar um arranha-céu é uma tarefa gigantesca, arrebatadora, é mais uma questão de resistência".
 
" O edifício mais significativo que já escalei foram as Torres Petronas, na Malásia. O projeto levou 12 anos. Da primeira vez que tentei, fui detido pela polícia, em um país que vive sob um regime duro. Depois disso, vi a reação das autoridades e pensei "Esqueça a Malásia". 10 anos depois, tentei novamente e fui detido outra vez. Quando finalmente consegui, tive que passar por uma preparaçnao legal também , para que minha pena não fosse tão severa se eu fosse pego novamente". 
 
"Continuo escalando em rocha, mas muito pouco. Da última vez que escalei estava em Bali. Foi difícil, mas nada muito alto, uns 10 metros. Sempre escalei sem corda, faço isso há mais de 40 anos". 
 
 
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário