Nepal reduz o preço das permissões para escalada

0

O governo do Nepal reduziu as taxas para a escalada de 326 montanhas daquele país, incluindo o Monte Everest, com a intenção de atrair alpinistas durante a baixa temporada e assim reanimar o turismo que foi duramente atingido por uma mortífera guerra civil maoísta e agitação política.


Todo ano, centenas de alpinistas estrangeiros
pagam desde US $ 500 para escalar uma pequena montanha até US $ 25.000 para o
Monte Everest, o mais alto do mundo, durante a popular temporada de primavera,
que vai de março a maio. Muitos dos 326 picos incluídos na lista permanecem
desertos durante o resto do ano.

Segundo o Ministério do Turismo, o governo reduziu
pela metade as taxas para escalar todas as montanhas durante a temporada de outono,
que vai de setembro a novembro. Durante a temporada de inverno (dezembro a
fevereiro) e no verão, entre junho e agosto, é cobrado dos escaladores apenas
25 % das taxas normais. A maioria dos montanhistas geralmente prefere a
primavera por causa da maior luminosidade natural e de condições climáticas
mais favoráveis.

Não serão cobradas taxas durante cinco anos para
os montanhistas que pretendem escalar qualquer montanha localizada nas regiões
mais remotas e menos desenvolvidas do país. Assim, o governo local espera
atrair alpinistas para estas áreas, de modo que o turismo beneficie a população
pobre.

A indústria da escalada saudou a decisão, dizendo
que poderá impulsionar o turismo no Nepal, onde se localizam oito dos quatorze
picos com mais de 8.000
metros. O turismo é responsável por cerca de quatro por
cento do PIB do Nepal.

Segundo o Ministério do Turismo do Nepal o número
de turistas cresceu 27,1 % em 2007, dois anos após os guerrilheiros maoístas
declararem cessar-fogo.

Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário