Palco de mundiais de Voo Livre, rampa do Vale do Paranã é invadida por fazendeiro

3

Localizada no Vale do Paranã, a área pertencente à Prefeitura de Formosa (GO) e é usada para com frequência pelos voadores de parapente e asa delta para treinamento e campeonatos esportivos, tendo inclusive sediado em 2018 o campeonato Brasileiro e em 2017 o campeonato Mundial de Voo Livre!

Área da rampa de Brasília grilada por fazendeiro maluco

O fazendeiro invadiu e cercou a área de cerrado onde fica a Rampa de voo livre do Vale do Paranã, em Formosa (GO), a pouco mais de 80km de Brasília. Além da cerca, também foi destruído o abrigo construído no local e que era utilizado pela Associação de Voo Livre de Brasília (AVLB).

Uso de armas

Há denúncias que ele teria ameaçado os atletas com armas de fogo, impedindo-os de acessarem o espaço. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia da cidade goiana.

Posteriormente, já na semana passada, o fazendeiro cercou a área da rampa e iniciou uma construção no espaço, alegando que seria o proprietário do terreno. “Ele disse que não abriria mão. Colegas da associação logo o reconheceram, pois, em outras ocasiões, realizou diversas ameaças”, contou o engenheiro Rodrigo Zatz, 49 anos, integrante da AVLB.

Os voadores então acionaram representantes do município para impedir a expansão da invasão. Na tarde desta quinta-feira (14/2), os atletas voltaram ao local acompanhados de fiscais das secretarias de Obras e Urbanismo, Esporte, e Turismo de Formosa. A Polícia Militar de Formosa apoiou a ação.

Segundo Amanda Lima, superintendente de Turismo de Formosa, a briga de fazendeiros pela área é antiga. “Eles insistem em se apropriar de uma área que é do município, mas nunca há a apresentação de escritura que comprove a posse. Neste caso, não foi diferente”, comentou.

O fazendeiro maluco não foi encontrado no terreno, mas deixou um mestre de obras responsável pelo monitoramento do espaço. O funcionário não soube dar detalhes quanto à documentação e foi encaminhado à Delegacia de Formosa para prestar esclarecimentos.

“Ainda avaliaremos como poderemos autuá-lo em relação ao abrigo destruído na invasão. O espaço era legal e de interesse público. Quanto à construção iniciada no terreno, como o fazendeiro se diz dono da área, terá cinco dias para apresentar a documentação. Caso contrário, será recolhido e a estrutura demolida”, afirma a superintendente.

Desapropriação

A rampa de voo livre é usada por esportistas há mais de 20 anos, sendo palco de competições nacionais e internacionais. Contudo, só em 3 de julho de 2018 começou o processo de legalização da área, com o objetivo de evitar crimes como grilagem de terra.

No artigo 1º do Decreto nº 1.837, estipula-se a desapropriação administrativa da região: “Fica declarada de utilidade pública, para fins de desapropriação, em favor do Município, a área localizada no Vale do Paranã. (…) Atualmente com a denominação fazenda ‘Córrego do Barreiro’, em razão da utilização turística e desportiva da Rampa de Voo Livre, com área total de 7,5702 ha.”

Protesto

Os pilotos de asa delta e parapente estão preparando um protesto na rampa do vale do Paranã, e estão convocando pilotos e moradores para demonstrar toda a indignação. O evento será neste sábado, 16/02/2018, a partir das 12 horas.

Com informações do jornal Correio Brasiliense

Compartilhar

Sobre o autor

Hilton Benke - Equipe AM

Hilton Benke é um dos idealizadores do AltaMontanha.com. Dono de uma personalidade muito forte, é hoje praticante assíduo do voo livre, principalmente da modalidade "hike and fly", que une o voo com o montanhismo. Como montanhista e escalador, gastou seu tempo galgando montanhas brasileiras e andinas, além de ter prestado alguns serviços como instrutor de escalada junto ao CPM. Deixá-lo feliz é fácil: só marcar um bom pernoite em um cume da Serra do Mar Paranaense, com um bom menu para o jantar e uma condição de tempo boa para que possa decolar com seu parapente dia seguinte e realizar uma das muitas travessias sobre a Serra do Mar.

3 Comentários

  1. Avatar

    Reportagem cheia de informações erradas….
    A área NUNCA foi da Prefeitura de Formosa, o decreto aí citado é NULO, os fazendeiros da região estão lá há muito mais tempo que esses pilotos de fim de semana, etc.
    Isso é o que acontece quando a reportagem é imparcial, tendenciosa e cópia de jornalzinho local. Resumindo, um lixo.

    • Avatar
      Sócrates de Oliveira em

      Lá é rampa de voo reconhecida mundialmente, frequentada e melhorada para esse fim já há 30 anos. A área pertence a outro fazendeiro (mas que está amedrontado e “não quer briga” com criminosos) e estava em processo de desapropriação por Formosa, município em cuja área o tereno invadido está localizado. , mas o grileiro invadiu, roubou equipamentos que estavam instalados lá e colocou seguranças armados por lá, impedindo o acesso dos esportistas. Resumindo: um criminoso está tentando roubar as terras e outros criminosos estão tentando passar um pano no crime.

  2. Avatar
    Eduardo dos Anjos Salazar em

    boa matéria, só uma correção, a rampa é usada a mais de 20 anos, foi descoberta em Abril de 1981, pelos pilotos Claudio Moura Castro, Euclides Herzog, Eduardo Salazar e Sergio Franco, em seguida já foi palco em 1982 de Campeonato Brasileiro, com direito a um recorde Brasileiro de distância, pelo piloto David Estreet, pousando na Granja do Torto.
    Abraços.
    Eduardo Salazar

Deixe seu comentário