Resgate em trilhas e montanhas quase dobra em 1 ano no PR

0

As informações foram repassadas pelo Grupo de Operação de Socorro Tático (Gost), do Corpo de Bombeiros do Paraná, para a Band News FM.

Dados do Grupo de Operação de Socorro Tático (Gost), do Corpo de Bombeiros do Paraná, mostram que o número de resgate em trilhas e montanhas no Paraná cresceu 90% passando de 27 para 51 casos.

De acordo com a reportagem, o comandante do Gost, major Daniel Lorenzetto, explica que além da falta de cuidados básicos ao sair para esse tipo de esporte, o aumento dos casos pode ser explicado pelo baixo volume de chuvas e fácil acesso aos locais, que atrai pessoas menos preparadas.

Lorezentto afirma que a maioria dos casos poderiam ser evitados com atitudes simples que são negligenciadas, como consultar a previsão de tempo e possuir equipamentos simples, como lanternas ou telefones celulares carregados. Avisar os familiares explicando seu destino facilita a busca dos bombeiros quando alguém desaparece na Serra da Mar, assim como deixar registrada sua entrada se o local for um parque ou propriedade particular.

O vice presidente da Federação Paranaense de Montanhismo, FEPAM, Getúlio Vogetta, ressalta que quem deseja realizar trilhas e ascender montanhas deva pesquisar previamente sobre as dificuldades do itinerário e avaliar sua condição física antes de partir para a aventura. É comum que pessoas sem prática já escolham como sua primeira experiência montanhas mais difíceis, como Pico Paraná ou Olimpo, no Conjunto do Marumbi, desafios que exigem preparo.

É comum o relato de casos de resgate acontecerem por que as pessoas chegam ao estado de exaustão e não conseguem regressar sem ajuda de terceiros. Desta forma há que ter em mente que chegar ao cume é apenas metade do caminho.

Montanhismo é uma atividade de risco que exige cuidados e respeito com o meio ambiente. Saber seus limites e fazer montanhismo com consciência é importante para manter a liberdade no esporte.

Resgates no feriado de Corpus Christi

No fim de semana que se passou não foi diferente, com resgates ocorrendo no Anhangava e Marumbi. No Anhangava uma escaladora paulista sofreu uma queda e quebrou um pé, sendo resgatada pelo GOST e removida pelo helicóptero do BPMOA após primeiro atendimento no local.

No Marumbi, uma mulher escorregou na travessia do rio Taquaral e teve que ser removida por maca pelo COSMO – Corpo de Socorro da montanha e depois encaminhada a um hospital em São José do Pinhais. Ambos os casos foram de baixa gravidade e elas passam bem.

Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário