Fogo atinge Morro do Açú no Parnaso (Atualizado)

0

10/08/2020 –  controle dos focos de incêndio no Parnaso

Após seis dias de bastante trabalho de Bombeiros e brigadistas, o fogo que atingiu a região do Rio Bom Fim e do Morro do Açú no Parnaso foi controlado. Entretanto, o incêndio também causou danos o Morro do Cruzeiro, Pedra da Bandeira e Ajax. Nas áreas mais ingrimes onde o acesso por terra é mais perigoso, foi utilizado uma aeronave equipada com Bambi Bucket para o lançamento de água.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Ver essa foto no Instagram

Durante o combate ao incêndio na parte alta do parque os Bombeiros foram acionados para atender outra queimada. Esse foco isolado começou em uma área particular próximo ao Posto de Saúde do Bairro Bom Fim e se alastrou pela vegetação seca atingindo o  Morro Mãe D’água.

Trabalho em conjunto por terra e ar para combater o fogo. Foto: 15º Grupamento de Bombeiros Militar Petrópolis

No total, estima-se que cerca de 330 hectares de vegetação foram consumidas na parte alta e mais 30 hectares no Morro Mãe D’água e arredores.

05/08/2020 – Atualização sobre o Incêndio no Parnaso – 100 hectares queimados.

Um grupo de 18 Bombeiros e brigadistas trabalharam durante toda a manhã e tarde do dia 04/08 para combater o fogo que se alastrou pelo Parque Nacional da Serra dos Órgãos. De acordo com informações do Parnaso Oficial via instagram “as equipes concentraram suas atividades no combate ao foco do incêndio que atingia a parte Alta do Parque, na região conhecida como “chapadão”, com três frentes: (1) em direção ao morro da bandeira Sentido Caxambu; (2) em direção ao morro do “Graças a Deus” sentido morro do Açu e (3) na “Isabeloca” sentido AJAX”.

O fogo se alastra rapidamente na vegetação seca.

O trabalho é pesado e difícil, aeronaves auxiliam no deslocamento dos Bombeiros e brigadistas.

 

Durante as primeiras 24 horas de fogo, estima-se que cerca de 100 hectares de vegetação tenha sido destruído. Nove brigadistas pernoitaram na montanha vigilando os fogos de incêndio. Todavia hoje pela manhã, uma equipe com 70 homens foi deslocada para o local com o apoio de aeronaves para tentar controlar e extinguir o fogo.

A vegetação da região atingida é composta majoritariamente por campos de altitude, que com a estiagem e o frio dos últimos dias secou. Outro agravante para a situação é o vento que espalha as brasas e provoca o aumento de focos.

Brigadistas trabalhando no combate ao incêndio.

 

 

 

04//08/2020 – Fogo atinge Morro do Açú no Parnaso

Poucos dias após a tragédia na Serra Fina e o triste episódio na Reserva Biológica de Araras, o fogo volta a consumir novamente uma montanha. Dessa vez o incêndio está atingindo o Morro do Açú, em Petrópolis, montanha que faz parte do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso) e da famosa travessia Petrópolis x Teresópolis.

Fogo atingindo a parte baixa do Parnaso e o Morro do Açú.

O fogo começou nessa manhã, 04/08, na região do Rio Bom Fim na parte baixa do parque e se alastrou rapidamente. “Temos um indicativo que a o fogo foi provocado pela soltura de um balão. Estão sendo deslocados 30 bombeiros e brigadistas para o local. Na parte da tarde iniciaremos o combate aos focos de incêndio com o uso da aeronave. Temos equipes também em trilhas e estamos montando uma base operacional”, disse o tenente-coronel do 15ª GBM, Gil Kempers, para o diário de Petrópolis.

Todavia, os responsáveis pelo combate ao incêndio pedem que a população não vá até o local.Assim, cabe lembrar que a Unidade de Conservação continua fechada visitação de montanhista como medida de prevenção ao Coronavírus.

Triste época

Há uma semana outro incêndio de grandes proporções foi registrado no município. Entre os dias 27 e 29/07 o fogo destruiu cerca de 670 hectares da Unidade de Conservação Reserva Biológica de Araras. Entretanto, esse incêndio foi causado por um aposentado que ateou fogo em seu próprio carro para fraudar o seguro. Entretanto, as chamas saíram do controle e se espalharam pela vegetação seca.

Incêndio ocorrido a poucos dias na Reserva Biológica de Araras.

Para controlar esse incêndio foi necessário mais de 100 homens entre Bombeiros, brigadistas e agentes do Inea, Ibama, ICMBio, Defesa Civil e Guarda Civil Municipal. O suspeito de ter iniciado o incêndio irá responder por estelionato tentado e crime de incêndio.

Da mesma forma, ainda no mês de julho, um incêndio atingiu a Pedra da Mina na Serra Fina. Assim, bombeiros e brigadistas contaram com apoio de helicópteros e um avião Hércules no combate ao fogo que levou mais de uma semana para ser controlado e destruiu mais de 600 hectares de vegetação.

:: Veja mais sobre o Incêndio na Serra Fina aqui.
Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário