Histórias de Montanha: Movendo Cumes e Fronteiras – Só Que Não!

1

O montanhista Pedro Hauck aproveitou o gancho de uma notícia que causou um verdadeiro frenesi durante essa semana. Um agricultor removeu uma pedra de um local para outro na fronteira Bélgica com a França. Mas será que é possível mudar a fronteira, apenas trocando o marco geodésico do local? Esse assuntou inspirou nosso colunista para fazer seu novo vídeo do canal do Alta Montanha, na série Histórias de Montanha e contar uma história vivida por ele.

Maximo Kausch na Sierra Nevada

Além de montanhista e colunista, Hauck tem formação em Geografia e mestrado Geografia Física pela Universidade Federal do Paraná. Além disso, ele é entusiasta de assuntos como história e geopolítica, além de ser apaixonado por montanhas. Ou seja, possui conhecimento e experiência de sobra para opinar sobre esse assunto.

Além desse conhecimento teórico, em 2015,  Hauck realizou uma expedição pelas montanhas virgens dos Andes. Nesse contexto, ele e seus parceiros descobriram que um novo cume no Sierra Nevada um pouco mais alto do que o oficial. Se isso tivesse sido descoberto antes, essa informação possivelmente influenciaria na delimitação da fronteira entre Argentina e Chile.

Porém, como a descoberta só foi feita após  as convenções políticas que definiram as fronteiras, nada muda em se tratando de política. Entretanto para os montanhistas é uma montanha a mais para ser escalada.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

1 comentário

Deixe seu comentário