Pedro Hauck comenta o dramático caso Campanini

0

Há 12 anos acontecia um dos episódios mais dramáticos da história do Aconcágua, a maior montanha das Américas. Em janeiro de 2009, um grupo com quatro montanhistas italianos acompanhados pelo guia Federico Campanini chegou ao cume do topo das Américas, todavia os festejos e comemorações deram lugar a preocupações e ao início de um pesadelo com a chegada de uma tempestade.

Mesmo sendo experiente, Campanini não conseguiu sobreviver.

Uma série de incidentes começou após eles chegarem ao cume e eles acabaram se perdendo em meio a tempestade, pegando um caminho errado. Uma grande operação de busca foi montada na tentativa de socorrer o grupo. Entretanto, no final apenas três dos montanhistas sobreviveram. Infelizmente, o guia Federico Campanini e a italiana Elena Senin não conseguiram retornar vivos da montanha. Esse caso ficou famoso e gerou comoção mundial após o vazamento de um vídeo que mostrava os resgastistas arrastando o principal personagem da história, o guia Federico Campanini, pela montanha em meio ao mal tempo.

:: Sonha em escalar o Aconcágua? Leia também: Guia completo de equipamentos para o Aconcágua

Esse caso deixou um legado que influência nas escaladas do Aconcágua até os dias atuais. Assim, a equipe do Alta Montanha selecionou essa história para o colunista Pedro Hauck, que também é guia no Aconcágua, comentar e deixar as suas impressões sobre essa triste história.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário