Comentários: 12ª Mostra Internacional de Filmes de Montanha, segundo dia.

0

Ainda no calor do primeiro dia da mostra competitiva, vamos aos comentários sobre as películas apresentadas no segundo dia. Continua o mesmo esquema de avaliação dos filmes.

 

DIA 26/10 – SEXTA | Mostra Competitiva 19h
 
My First Mountain – Cinco amigos e um objetivo: chegar pela primeira vez ao cume de uma alta montanha. Passando pelo …
Bruno Senna (Minas Gerais), 32 min
 
 – Ótima fotografia, ânimo nota 10 e vontade de fazer alta montanha 1000, assim inicia o filme. Aos poucos lota os minutos da película com cenas de treinamento e logística do que é fazer uma montanha e isso faz o público se apoiar no cotovelo e pedir para acabar logo. Ganha na fotografia e perde no sensacionalismo em fazer duas montanhas bem conhecidas na Bolívia, sendo uma delas a mais subida em toda América do sul, Huayna Potosí (6088 m). “Atende”.
 
Free BASE en Riglos – Neste documentário, Carlos Suárez, um alpinista e aventureiro, reflete sobre sua mais recente …
Jesús Mediavilla (Espanha), 15 min
 
 – Este foi gringo, bem legal, curto e grosso com ótimas cenas de BASE. Com a fotografia bem legal e narrativa muito agradável, o filme passa por um dos lugares mais inusitados da Espanha, Riglos. Perde na edição, mas ganha de lavada nas cenas de ação. “Supera
 
Fitz Roy – A Grande Aventura – O filme retrata a escalada do Fitz Roy pelos escaladores Irivan Burda e Marcelo Santos, em …
Marcelo Santos (Paraná), 18 min
 
 – Então, vamos dar ao povo o que eles querem e montanhista quer ver "Climb". Isso que o filme deu, da linha curto e grosso, um punhado de filmagens e algumas fotos fizeram o que todo filme de montanha quer fazer, deixar o publico com vontade de escalar. Até quem não era montanhista gostou do que viu e se perguntou onde fica Chalten. Gostei muito do que vi e quem estava a meu lado nas cadeiras próximas também gostou, nada mais justo que mandar um “Supera” para esta produção.
 
Expedição Rio do Poncho – Primeira Descida – Em janeiro de 2012, um americano e um grupo de canoístas de diferentes lugares do Brasil …
Bruno Alves de Mattos (Santa Catarina), 25 min
 
 – Um filme que tirou gargalhadas do público, se era um filme de aventura deixou de ser nesta sexta feira 26 de outubro. A cada poucos quilômetros a frase "aqui no Rio do Poncho, meu!" o publico vinha abaixo. Muita ralação e diversão com essa rapaziada que mandou super bem na trip que se propuseram a realizar. Gostei do que vi e o mérito do filme, apesar das piadas, foi a ralação da equipe que desceu o "aqui no Rio do Poncho, meu!" (rs). “Atende
 
DIA 26/10 – SEXTA | Mostra Competitiva 21h
 
Espírito de Liberdade – O que todos os atletas dos esportes de ação têm em comum? Para encontrar a resposta, foi …
Jader Lago (São Paulo), 41 min
 
 – O filme é interessante, mostra um cenário inusitado e uma categoria pouco tradicional do esporte aquático. Embora tenha superado expectativas nos quesitos fotografia e qualidade de imagem, fiquei me perguntando o que o "River Surfing" no Eisbach tem a ver com esporte de montanha. "Não atende”. Não para este festival.
 
 
Harmatan – Documentário sobre as expedições brasileiras à região do deserto do Sahel no Mali. Na ocasião, …
Eliseu Frechou (São Paulo), 21 min
 
 – De montanhista para montanhista, assim foi o filme de Eliseu Frechou e sua equipe. Mas uma investida no deserto do Sahel, Mali. Direto e no ritmo que todo escalador gosta de ver (curto e grosso), a película é o que é. Dos filmes da amostra, talvez seja o que mais se identifica com os escaladores que estiveram presentes nesta sexta feira no Cine Odeon. “Supera
 
O mais jovem brasileiro no Everest – Imagens com narração do montanhista Carlos Santalena sobre sua escalada ao cume do Monte …
Alexandre Haigaz (São Paulo), 21 min
 
 – Parecia ser só mais um filme de expedição ao Everest. Aos poucos foi mostrando ao público as emoções envolvidas no projeto e como este deve se desenvolver. A película segue longa e as vezes monótona, mas prendeu o público até o fim. Uma grande montanha e um sonho, esta foi a meta do mais jovem brasileiro no Everest, mas, como filme, perde por ser longo demais. “Atende”.
 
Ingresso R$ 24,00 inteira e R$ 12,00 a meia entrada
Força sempre, bons filmes e boas escaladas!
Atila Barros
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário