Mostrando: Colunistas

Colunistas
O Morro da Aparecidinha
Por

Situado entre Araçariguama e a Serra do Japi, o Morro da Aparecidinha é uma elevação imponente que leva este nome por ter o pacato bairro rural de Aparecidinha a seus pés. Também chamado de Morro das Torres por fazer a interligação deste bairro com a Estrada dos Romeiros, os quase mil metros do cume desta simpática colina são facilmente acessados por antiga e rústica trilha que palmilha toda sua crista, e contempla uma vista panorâmica de todo município e região. Eis aqui um rolê que fez todo esse trajeto numa puxada pernada de mais de 25km que começou em Pirapora do Bom Jesus e terminou em Araçariguama.

Colunistas
Illimani
Por

Muito tempo atrás, escrevi sobre o Cerro Condoriri na Cordilheira Real no centro da Bolívia e sobre a Cordilheira de Apolobamba no sul. Embora o Sajama seja seu ponto culminante, é o Illimani a montanha mais conhecida do país. E por boas razões, como você saberá neste artigo.

Colunistas
Como Funciona a Altitude?
Por

Em muitas ocasiões senti o chamado mal da altitude, felizmente sempre de forma moderada, bem como ouvi e li bastante sobre ele. A coluna a seguir procura explicar como e porque ocorre – e como pode ser evitado e tratado. Esta coluna pertence à série iniciada ao descrever a proeminência e continuará ao comentar os acidentes geográficos.

Colunistas
O Morro da Bandeira da Revolução de 32
Por

Nas cartas ele figura como Morro do Sobradinho e topograficamente é o ponto mais alto da Serra da Prata, elegante morraria situada entre Águas da Prata e Poços de Caldas, na divisa SP/MG. Mas pela sua importância histórica essa elevação é mais conhecida como Morro da Bandeira da Revolução de 32, pois dizem lá ter sido palco dos confrontos que visaram separar São Paulo do resto do país. Independente de nomenclatura, a linda vista dos 1435m do seu cume é acessível de várias formas e eu escolhi a mais refrescante: subindo pelo estreito vale dum afluente encachoeirado do Córrego do Quartel. Este é o relato desse rolê de dois dias e 25kms bem andados que não deve nada as tradicionais aventuras da Serra do Mar, conciliando tchibum no fundo de vales e largos visus no alto de montanhas.

Colunistas
Uma pernada, quatro pedras: Travessia Elefante – Estudantes
Por

Situada a 980m de altitude, a “Pedra do Elefante” é o ponto turístico mais alto de Ribeirão Pires (SP), com vista panorâmica de boa parte do município. Contudo, o serrote que abriga este atrativo é repleto de outros monolitos ao largo dos seus quase 6km de extensão. E mais, existem outros tantos que coroam os morros que se erguem pelo quadrante norte. Disso nasceu a idéia do rolê praquele sabadão de inicio de junho, embalado num céu claro de outono: uma travessia pela cumieira de boa parte desses pequenos serrotes passando por suas quatro pedras mais significativas, a “dos Estudantes”, a “do Jacu”, a “Rachada” e a “dos Estudantes”. Uma simpática caminhada de 15kms e quase 400m de desnível somados que, emendando diversas veredas, começou em Ribeirão Pires e findou nos cafundós de Suzano.

1 2 3 4 5 97