Sobre o Autor

Pedro Hauck - Equipe AM

Pedro Hauck é montanhista e escalador desde 1998. Natural de Itatiba -SP, reside atualmente em Curitiba-PR. Pedro gosta de escaladas clássicas e também de montanhismo de altitude, já tendo escalado algumas das mais altas dos Andes. É geógrafo, mestre em Geografia Física e atualmente faz doutorado em Geologia ambiental. Visite o Blog de Pedro em www.pedrohauck.net

Colunistas
Expedição Exploratória nos Andes
Por

De setembro a novembro de 2015 participei da mais longa expedição a montanhas andinas da minha vida, uma expedição de 2 meses onde fiz 12 cumes, 4 deles de acima de 6 mil metros e o resto montanhas de 5 mil, dentre elas várias virgens. Neste artigo farei um relatório destas ascensões com os dados colhidos até agora com vários montanhistas que conhecem bem a região.

Artigos
7 Princípios para usufruir a natureza sem deixar rastros
Por

Praticar esportes Outdoor é saudável para o corpo e para a mente. Não é segredo que quem tem acesso à natureza tem maior qualidade de vida e é mais feliz. No entanto, o acesso às regiões selvagens exige bastante responsabilidade. Veja abaixo 7 recomendações feitas pelo montanhista e geógrafo Pedro Hauck para que você possa curtir a natureza gerando poucos impactos e preservando a sensação de local intocado para que as próxima pessoas usufruam do local como você.

Colunistas
Setor Escola do Anhangava: Rompendo o silêncio
Por

Em Outubro de 2013, eu com Rafael Wojcik e Leandro Bonato “Castor” conquistamos um novo setor no morro do Anhangava que batizamos de “Escola” por ser composto de vias de escalada fáceis, destinadas ao ensino e também à escalada familiar, um conceito ainda pouco conhecido no Brasil. Muito provavelmente você nunca deve ter ouvido falar deste setor, ou se ouviu foi pelas palavras de outros que não dos conquistadores. Isso porque antes de ter divulgado, parte deste setor já havia sido depredado com a destruição de duas vias. Recentemente mais duas outras vias tiveram os grampos arrancados, num ato de agressão e vandalismo covarde e injustificável.

Artigos
A ruína inca no cume do Nevado Quewar
Por

O pouco conhecido Nevado Quewar é um enorme vulcão com 6150 metros de altitude localizado na Puna do Atacama na província de Salta, norte da Argentina. No alto de seu cume há uma ruína incaica que se distingue das ruínas que são comuns nesta região. Ela é grandiosa e muito mais elaborada.

Artigos
Antes dos Primeiros: O montanhismo dos Incas
Por

Na história oficial, o montanhismo começa quando Gabriel Paccard e Jacques Balmat alcançam o cume do Mont Blanc no longínquo ano de 1785. Apesar de existirem registros de ascensões a montanhas antes da conquista da montanha mais alta dos Alpes, foi com esta escalada que começou uma cultura de escalar montanhas. Razões para isso se dá por diversos motivos, como a grandiosidade do feito e também pelas mudanças na forma de viver e de pensar que o século das luzes acarretou na vida privada das pessoas na Europa.

Artigos
Bastões de trekking: Usar ou não usar?
Por

Os bastões de trekking se bem utilizados, podem ser equipamentos com grande utilidade no trekking e montanhismo. No entanto, muita gente tem preconceito e acham que são peças inúteis. Saiba quais são os tipos de bastões de trekking disponíveis no mercado, como usá-los e quais as vantagens de sua utilização.

Artigos
O que é e para que serve o SPOT
Por

O SPOT é um rastreador pessoal via satélite e tem muitas funções que aumentam a segurança de praticantes de esportes outdoor e servem também para rastrear pertences como carros, tratores e cargas. Conheça melhor este aparelhinho e saiba quais são suas funções.

Colunistas
Desafios psicológicos e emocionais de uma escalada em alta montanha
Por

Há muito tempo ajudo pessoas a planejar escaladas em alta montanha, dando dicas e sugestões.Recentemente tenho realizado trabalhos de guia e por isso acumulo uma vasta experiência em lidar com pessoas que tentam realizar ascensões em montanhas de altitude. Através da reflexão destas experiências realizo aqui alguns comentários sobre as dificuldades normais enfrentadas pelas pessoas neste tipo de ambiente, e ainda comento como a cultura “normal” brasileira é uma barreira no enfrentamento destes problemas.

Colunistas
Sherpas na Serra Fina
Por

A idéia era passar o feriado de Corpus Christi guiando a travessia Petrópolis x Teresópolis, que é um passeio no parque, caminhada linda e tranquila que nem suja a bota. No entanto bobeamos e perdemos o prazo de reservar os lugares nos locais de acampamento do Parque Nacional e meio em cima da hora mudamos o roteiro para a Serra Fina, que tem fama de ser a “travessia mais difícil do Brasil”. Como eu só tinha feito esta pernada pela metade e conheço bem outras travessia bem difíceis, achei muito interessante a possibilidade de realizar esta caminhada e melhor ainda trabalhando.

1 2 3 4 12